Sobre o uso do termo Imperial nas cervejas

Atualizado: 24 de set. de 2021

Imperial é um termo até recentemente reservado para cervejas produzidas especialmente para monarcas europeus, mas agora é utilizado principalmente por cervejeiros artesanais americanos. Infelizmente o termo se tornou vago.

Quando usada para descrever uma cerveja a palavra ‘’Imperial’’ vem sendo amplamente empregada para significar ‘’mais forte que o habitual’’. O uso desse termo é derivado da respeitável cerveja Russian Imperial Stout, fabricada no séc. XVIII pela cervejaria Henry Thrale. Originalmente feita especialmente para a Tsarina Catarina, a Grande, e para a corte imperial russa, essa cerveja com 10% de álcool por vol. (ABV) acabou se tornando um estilo amplamente produzido.


Nos anos 1980, as cervejas imperial stout ressurgiram no início do movimento americano de produção de cervejas artesanais, possivelmente popularizadas nos EUA pela Samuel Smith. Apesar de seu teor álcoolico de apenas 7% (ABV) certamente não representar o padrão ‘’imperial’’, a Samuel Smith Imperial Stout apresentava um sabor rico e profundo além de embalagens e rótulos bastante elegantes, caindo no gosto americano que foram compreensivelmente, atraídos pelo estilo.


Os cervejeiros americanos, em busca de sabores mais fortes começaram a acrescentar a palavra ‘’Imperial’’ a qualquer cerveja que imitasse o estilo já existente, porém aumentando seu teor álcoolico e o amargor do lúpulo. Primeiramente chegou a imperial IPA, seguida das cervejas imperial brown ale, imperial pilsner, imperial witbier e até imperial mild.


A criatividade utilizada nas cervejas aparentemente abandonou os cervejeiros no momento de batizar os novos estilos. Qualquer cerveja que tenha sido dada uma dose de esteróides, atualmente diz-se que foi ‘’imperializada’’. O termo ‘’double’’ é utilizado da mesma maneira. Se o cervejeiro achar que somente a ‘’imperialização’’ é insuficiente, uma brown ale forte pode se tornar uma double imperial brown ale.


Apesar de muitas dessas cervejas serem bem feitas e alguns cervejeiros neguem a possível perda de uma denominação útil de estilo de cerveja, não há mais o que fazer para evita-la. A ‘’imperialização’’ está ai e veio para ficar.



Texto baseado no livro O Guia Oxford da Cerveja.

Posts recentes

Ver tudo

Impressão Geral: Uma ale Trapista um pouco condimentada, seca e forte, com um agradável sabor arredondado de malte e um amargor firme. Muito aromática, com notas condimentadas, frutadas e leve álcool

Comentários: Em inglês é pronunciado como “pivo grow – JESSE – kee-uh” (que significa: Grodzisk cerveja). Conhecido como Grätzer (pronuncia-se “GRATE-sir”) em países de língua alemã e, em alguma liter

História: Uma ale de provisão originalmente desenvolvido na Valônia, a parte da Bélgica que faz fronteira com a França, para consumo durante o período de cultivo da terra ativo. Originalmente um produ